Defesa da Mulher: SP lança aplicativo e abre salas para atender vítimas de violência

O Governo de São Paulo lançou nesta sexta-feira (8) o aplicativo SP Mulher, uma iniciativa inédita para proteger mulheres com a unificação de serviços às vítimas de violência doméstica e familiar. A plataforma, que já está disponível para os sistemas iOS e Android, reúne as principais funcionalidades para facilitar o registro de ocorrências e o acionamento da Polícia Militar em um único lugar.

Ao fazer o cadastro usando o login gov.br, a ferramenta importa os dados e identifica automaticamente se a vítima já possui medida protetiva, disponibilizando um botão do pânico para o acionamento do socorro em caso de necessidade. A medida agiliza o processo e dispensa a necessidade de preenchimento de formulários e do número do processo para o pedido de ajuda.

“Além do trabalho preventivo das Polícias Militar e Civil, também investimos em tecnologia para somar esforços na proteção das mulheres. Ela precisa ter acesso de modo rápido e fácil a todos os serviços disponíveis, seja para registrar um boletim de ocorrência ou para pedir socorro. O aplicativo SP Mulher é um exemplo disso”, disse o secretário da Segurança Pública, Guilherme Derrite.

O aplicativo também traz uma função inédita para monitorar agressores de mulheres por georreferenciamento. Caso o suspeito seja monitorado por tornozeleira eletrônica, o aplicativo cruzará os dados da localização da vítima com a movimentação do agressor. Caberá à mulher autorizar que a Secretaria da Segurança Pública receba as informações para iniciar o monitoramento. Em caso de aproximação, o Centro de Operações da Polícia Militar (Copom) é acionado e uma viatura é despachada para o local.

A PM fará contatos tanto para alertar a vítima como para avisar o agressor da necessidade de se afastar imediatamente do local monitorado. Assim, a mulher será protegida não só em casa ou na área determinada pela Justiça, mas também durante deslocamentos.

Boletim de ocorrência

Outra inovação do app SP Mulher é o registro do boletim de ocorrência no próprio celular. A plataforma permitirá que a mulher faça o documento sem a necessidade de ir até uma DDM.

O serviço é similar ao já oferecido pela delegacia virtual, mas com a vantagem de elaboração da denúncia no próprio aplicativo SP Mulher. A ocorrência é encaminhada automaticamente para a DDM, que irá validar o boletim e fornecer as informações necessárias à vítima.

Mais atendimentos em delegacias

Outro anúncio feito pela Secretaria da Segurança Pública foi a abertura de 62 novas salas da Delegacia de Defesa da Mulher com atendimento online 24 horas. Com os novos espaços, montados em delegacias onde há plantão policial, São Paulo passa a ter 141 unidades de suporte especializado, atingindo todas as regiões do estado.

As salas oferecem um ambiente específico para acolher vítimas de violência de gênero. Por videoconferência, a mulher é atendida por uma equipe especializada da Delegacia da Defesa da Mulher a qualquer hora do dia.

Durante a chamada, a vítima pode registrar a ocorrência e receber orientações. As agentes também oferecem apoio para solicitar medidas protetivas e questionam as mulheres se desejam sair do local onde estão. Em caso positivo, as equipes do plantão policial oferecem todo o suporte necessário para levar a vítima até um abrigo ou hospital.