“Mamonas Assassinas – O Filme” estreia em dezembro com patrocínio da Brasilux Tintas

Na década de 1990, cinco jovens de Guarulhos conquistaram o Brasil por meio da música e se tornaram eternos. Dinho, Sérgio, Samuel, Júlio e Bento foram os integrantes da emblemática banda Mamonas Assassinas e marcaram uma geração.

Para contar a história da banda e como alcançou tanto sucesso, no dia 28 de dezembro, estreia nas salas de cinema de todo o país: “Mamonas Assassinas – O Filme”. O longa tem patrocínio da Brasilux Tintas, que entra na narrativa por meio da pintura da Brasília Amarela, ícone histórico da banda.

Empresa nacional com um dos maiores portfólios de tintas e revestimentos do mercado, a marca oferece soluções em tintas de alta tecnologia para os segmentos imobiliário, industrial, automotivo e moveleiro.

Por valorizar a cultura, e também estimulada pela história da banda, a Brasilux Tintas apresenta a meteórica trajetória dos músicos dos Mamonas.

“A Brasilux, literalmente, pintou no filme! Além de todos os cenários terem sido pintados com Brasilux, a marca faz parte de um momento icônico: quando a Brasília é finalmente pintada de amarelo. Um dos nossos compromissos é com a difusão da cultura e fornecer produtos de altíssima qualidade no nosso segmento, desta forma patrocinar ‘Mamonas Assassinas – O Filme’ é incentivar o cinema nacional e mostrar a diversidade de segmentos de atuação da nossa marca”, afirma Kelly Cristina Diniz Bicalho, presidente da Brasilux Tintas.

Pré-estreias

Antes do filme chegar às telonas de todo o Brasil estão agendadas pré-estreias em cidades estratégicas na próxima semana. No dia 11, o longa chega a Guarulhos, cidade natal dos Mamonas. No dia 12, o Rio de Janeiro vai acompanhar a história dos artistas que ganharam o país nos anos 1990. Em seguida, no dia 13, é a vez de São Paulo assistir à trajetória dos músicos.

Também no dia 13, a Brasilux Tintas será a anfitriã da pré-estreia exclusiva de “Mamonas Assassinas – O Filme”, em Ribeirão Preto (SP), para convidados, clientes e imprensa especializada. A exibição será no Cinépolis do Shopping Iguatemi Ribeirão Preto.

Brasília Amarela

Para os admiradores do grupo, uma Brasília Amarela, réplica à utilizada nas gravações, estará exposta próximo ao cinema, somente no dia 13, a partir das 10h.

O público poderá fazer fotos com o veículo, que ficou famoso por conta da música “Pelados em Santos”. A Brasília Amarela estará de portas abertas para levar os fãs para uma viagem nostálgica à história dos Mamonas Assassinas.

Brasil no Oscar; Confira o filme que foi selecionado para concorrer a vaga para a cerimônia

A Academia Brasileira de Cinema e Artes Audiovisuais anunciou hoje (12) que o filme “Retratos Fantasmas”, dirigido por Kleber Mendonça Filho, foi selecionado para representar o Brasil na disputa por uma vaga na categoria de melhor filme internacional no Oscar 2024.

A escolha do filme ocorreu após competir com outros cinco finalistas, pré-selecionados dentre 28 longas brasileiros pela Academia Brasileira de Cinema e Artes Audiovisuais. “Retratos Fantasmas” aborda o centro da cidade do Recife como protagonista, revisitando os antigos cinemas que desempenharam um papel vital no convívio social durante o século 20.

Vale destacar que a seleção como representante brasileiro não garante automaticamente uma indicação ao Oscar. Cada país faz sua indicação, e a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas analisa essas indicações, revelando uma pré-seleção em 21 de dezembro. Os filmes que de fato competirão pelo prêmio serão anunciados oficialmente em 23 de janeiro de 2024, com a cerimônia de premiação programada para 10 de março de 2024. Este é o segundo filme de Kleber Mendonça Filho a ser escolhido para representar o Brasil no Oscar, sendo conhecido por obras como “Bacurau” e “Aquarius”. O último filme brasileiro a receber uma indicação ao Oscar de melhor filme estrangeiro foi “Central do Brasil”, dirigido por Walter Salles. Entretanto, “Democracia em Vertigem”, de Petra Costa, foi indicado na categoria de melhor documentário em longa metragem em 2020. A primeira indicação brasileira ao Oscar de melhor filme estrangeiro ocorreu em 1963 com “O Pagador de Promessas”, de Anselmo Duarte. Antes disso, “Orfeu Negro”, dirigido pelo francês Marcel Camus e baseado na peça “Orfeu da Conceição” de Vinícius de Moraes, ganhou a categoria em 1960, mas apenas a França foi premiada, apesar das locações e atores brasileiros.

Outros filmes brasileiros indicados ao Oscar incluem “O Quatrilho” (1996), “O Que É Isso, Companheiro?” (1998) e “Central do Brasil” (1999), embora nenhum deles tenha vencido. O Brasil também obteve indicações em diversas outras categorias, incluindo animação, canção, atuação, direção, fotografia e roteiro adaptado, mas ainda não conquistou o cobiçado prêmio da Academia.

Edição: Maria Cláudia/Agência Brasil