Banco Central divulga novas regras para o PIX; veja as mudanças

O Banco Central anunciou nesta segunda-feira (22) novas regras para transações via PIX, que afetam especificamente dispositivos não cadastrados para esse tipo de operação. A partir de 1º de novembro, novos aparelhos, que nunca foram utilizados para realizar PIX, terão limites de transferência definidos em:

  • R$ 200 por transação;
  • R$ 1.000 por dia, somando todas as transações realizadas.

Esses limites vigorarão até que o usuário confirme junto ao banco que o dispositivo pode ser autorizado para realizar transações sem restrições. Para os usuários que já utilizam o PIX em seus dispositivos atuais, não haverá impacto, a menos que troquem de aparelho ou desejem utilizar outra chave.

Segundo o Banco Central, essa medida visa reduzir a possibilidade de fraudes, garantindo que fraudadores não possam usar dispositivos não autorizados pelo cliente para realizar transações PIX significativas. Mesmo com acesso ao login e senha, um fraudador não conseguirá realizar transferências acima de R$ 1.000 por dia a partir de um novo celular ou computador.

Além dos limites impostos, os bancos serão responsáveis por gerenciar os riscos de fraude, monitorando transações PIX que sejam atípicas ou que não condizam com o perfil do cliente. Também deverão fornecer orientações a seus clientes sobre como evitar fraudes e verificar, pelo menos a cada seis meses, se há registros de seus clientes como fraudadores junto ao BC.

Para clientes que possuam histórico de fraudes, os bancos deverão considerar a possibilidade de encerrar o relacionamento ou aplicar limites diferenciados para autorizar transações, além de bloquear transações recebidas.

Essas medidas visam fortalecer a segurança das operações via PIX e aumentar a proteção dos usuários contra atividades fraudulentas no sistema de pagamentos instantâneos.

Mercado aumenta previsão da inflação de 4% para 4,05% em 2024

O mercado revisou para cima suas estimativas de inflação para 2024, prevendo que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) alcançará 4,05%, um aumento em relação à previsão anterior de 4%. Esses dados foram divulgados pelo Banco Central, no Boletim Focus desta segunda-feira (22).

Essa estimativa para 2024 está acima da meta de inflação estabelecida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), que é de 3%, com uma margem de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. Isso significa que a inflação projetada ainda está dentro do intervalo tolerável pelo CMN, cujo limite superior é de 4,5%.

A política monetária para controlar a inflação tem como principal instrumento a taxa básica de juros, conhecida como Selic, atualmente fixada em 10,5% ao ano pelo Comitê de Política Monetária (Copom). A decisão de manter essa taxa está relacionada ao aumento recente do dólar e às incertezas econômicas globais, que levaram o BC a interromper os cortes de juros iniciados anteriormente.

Além da inflação, as instituições financeiras também ajustaram suas projeções para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro em 2024, elevando a expectativa de 2,11% para 2,15%. Para os anos seguintes, a previsão é de expansão de 1,93% em 2025, seguida por um crescimento de 2% em 2026 e 2027.

Em relação ao mercado cambial, espera-se que o dólar encerre o ano de 2024 cotado a R$ 5,30, com uma leve queda prevista para R$ 5,23 até o fim de 2025. Essas projeções refletem as expectativas das instituições financeiras diante das condições econômicas atuais e das perspectivas para os próximos anos.

Informações: Agência Brasil

Prepare seu bolso, preço médio da gasolina sobe após aumento da Petrobras

O preço médio do litro da gasolina nos postos subiu R$ 0,12 na última semana, um aumento de 2,05% em relação ao período anterior, segundo a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). O ajuste ocorreu após a Petrobras elevar o preço de venda do combustível para as distribuidoras.

De acordo com o levantamento da ANP divulgado nesta quarta-feira, 17 de julho, que cobre a semana de 7 a 13 de julho, o preço médio da gasolina foi de R$ 5,97. O valor máximo encontrado foi de R$ 7,99.

Os preços dos outros combustíveis também registraram alta:

  • Etanol: O preço médio subiu para R$ 3,96, marcando um aumento de 2,59% em relação aos R$ 3,86 da semana anterior. O valor mais alto encontrado foi de R$ 5,99.
  • Diesel: O litro do diesel passou a ser vendido, em média, a R$ 5,94, o que representa uma alta de 0,68% comparado aos R$ 5,90 da semana passada. O preço máximo identificado foi de R$ 7,82.

MUDANÇAS NA POLÍTICA DE PREÇOS

Em maio de 2023, a Petrobras alterou sua política de preços e deixou de seguir a paridade internacional (PPI), que ajustava os preços com base nas flutuações do dólar e nas cotações internacionais do petróleo. A nova estratégia da estatal é definir preços que estejam entre o valor máximo que um comprador está disposto a pagar e o mínimo necessário para manter a rentabilidade.

Vale destacar que os preços nos postos de combustíveis são influenciados por impostos e pela margem de lucro das distribuidoras e revendedoras. Desde março de 2021 até fevereiro de 2024, foram realizados pelo menos 13 importantes ajustes nos tributos sobre gasolina, diesel, etanol e gás natural veicular (GNV), com sete desses ajustes ocorrendo apenas em 2023.

Bolsa Família: pagamentos de julho começam nesta quinta-feira (18); veja calendário do NIS

O pagamento do Bolsa Família referente ao mês de julho de 2024 terá início nesta quinta-feira, dia 18. Os primeiros beneficiários a receber serão aqueles com o Número de Identificação Social (NIS) que termina em 1. Cada família poderá receber um valor mínimo de R$ 600, além de possíveis adicionais. Os depósitos serão feitos de forma escalonada ao longo do mês. A Caixa Econômica Federal, responsável pelos pagamentos, fará a liberação dos valores conforme o cronograma abaixo.

Confira o calendário de pagamento para julho de 2024:

  • NIS final 1: pagamento em 18/7
  • NIS final 2: pagamento em 19/7
  • NIS final 3: pagamento em 22/7
  • NIS final 4: pagamento em 23/7
  • NIS final 5: pagamento em 24/7
  • NIS final 6: pagamento em 25/7
  • NIS final 7: pagamento em 26/7
  • NIS final 8: pagamento em 29/7
  • NIS final 9: pagamento em 30/7
  • NIS final 0: pagamento em 31/7

Os próximos períodos de pagamento ao longo do ano são:

  • Agosto: de 19/8 a 30/8
  • Setembro: de 17/9 a 30/9
  • Outubro: de 18/10 a 31/10
  • Novembro: de 18/11 a 29/11
  • Dezembro: de 10/12 a 23/12

Segundo o Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome (MDS), os pagamentos do benefício ocorrem nos últimos 10 dias úteis de cada mês, com exceção de dezembro, quando o calendário é antecipado.

O Bolsa Família oferece um pagamento base de pelo menos R$ 600 por família, com adicionais conforme as seguintes condições:

  • R$ 150 por criança de até 6 anos;
  • R$ 50 para gestantes e para crianças e adolescentes de 7 a 17 anos;
  • R$ 50 por bebê de até seis meses.

QUEM TEM DIREITO AO BOLSA FAMÍLIA?

Para ser elegível ao Bolsa Família, a renda mensal familiar deve ser de até R$ 218 por pessoa. A renda total da família deve ser dividida pelo número de membros; se o valor obtido for inferior a R$ 218, a família pode ser beneficiária do programa.

Além disso, os beneficiários devem cumprir algumas condições, como:

  • Garantir que crianças e adolescentes estejam frequentando a escola;
  • Realizar acompanhamento pré-natal para gestantes;
  • Manter as carteiras de vacinação em dia.

COMO SE CADASTRAR?

Os interessados devem se inscrever no Cadastro Único (CadÚnico), que é a principal ferramenta do governo federal para a inclusão de famílias de baixa renda em programas sociais. Após o cadastro, a análise para inclusão no Bolsa Família será feita.

COMO SACAR O BOLSA FAMÍLIA?

Os valores podem ser acessados através do aplicativo Caixa TEM e do internet banking. Não é necessário ir até uma agência da Caixa Econômica Federal para fazer o saque. Também é possível usar o cartão do programa para compras via débito, além de realizar saques em terminais de autoatendimento, casas lotéricas, correspondentes Caixa Aqui, e nas agências da Caixa.

Haddad afirma que estimativa para o PIB este ano pode ser revista para cima: ‘Economia não parou de crescer’

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, indicou que é provável que o ministério revise para cima sua estimativa de crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) para 2024. Atualmente, a previsão oficial do governo é de uma alta de 2,5%. Em 2023, o PIB cresceu 2,9%.

Haddad fez essas declarações durante uma reunião com empresários do setor alimentício no Palácio do Planalto, que contou também com a presença do presidente Lula, do vice-presidente Geraldo Alckmin, dos ministros da Casa Civil, Agricultura e Desenvolvimento Agrário, e do presidente do BNDES, Aloizio Mercadante.

“O Aloizio [Mercadante] falava agora há pouco que a Fazenda talvez tenha que rever a projeção do PIB deste ano. O que é provável que aconteça”, disse Haddad.

Apesar dos danos causados pelas enchentes no Rio Grande do Sul, um estado responsável por quase 8% do PIB brasileiro, Haddad ressaltou que a economia do país continua se expandindo. “Tudo indica que mesmo com a calamidade no Rio Grande do Sul, a economia não parou de crescer, mesmo com a trava externa, as preocupações com o FED, a repercussão no nosso Banco Central aqui, a economia continua crescendo”, afirmou o ministro.

O ministro explicou que a equipe econômica adota uma abordagem prudente ao fazer previsões para evitar surpresas desfavoráveis. “Nós sempre somos parcimoniosos porque a gente não quer também sofrer revés”, comentou.

No entanto, Haddad acredita que o PIB superará a previsão atual, destacando que a expansão do crédito e o dinamismo do setor empresarial são fatores que impulsionam o crescimento econômico. Ele também destacou o entusiasmo do setor produtivo e a confiança no Brasil.

“A economia continua crescendo e isso se deve ao espírito empreendedor. Ao espírito empreendedor do empresário do setor produtivo. Eu tenho certeza do que eu vou dizer, o setor produtivo está creditando no Brasil e para que essa profecia que vocês estão fazendo nos seus próprios negócios se realize socialmente, nós temos que verbalizar mais o que está acontecendo”, completou o ministro.

Primeiras notas do real vão sair de circulação; saiba como identificar

As cédulas da “primeira família do real” serão gradualmente retiradas de circulação conforme uma nova diretriz do Banco Central do Brasil (BC). Esta medida, anunciada na semana passada, estabelece que as instituições financeiras devem recolher essas cédulas antigas para substituí-las por novas, mas não afeta a validade das notas antigas, que continuarão sendo aceitas normalmente.

O Banco Central esclareceu que o recolhimento das notas antigas é necessário devido às dificuldades que cédulas desgastadas podem causar. Isso inclui problemas logísticos para a operação de caixas eletrônicos, máquinas contadoras e outros equipamentos. Além disso, cédulas em mau estado podem dificultar a identificação dos elementos de segurança por parte dos usuários.

“Considerando o tempo de vida útil destas cédulas, é de se supor que suas condições físicas não estejam adequadas à circulação”, justificou o BC.

Atualmente, as notas da primeira família do real, que foram emitidas em 1994, representam cerca de 3% do total de dinheiro em circulação.

A “segunda família do real” começou a ser emitida em 2010 com as cédulas de R$ 50 e R$ 100. Em 2012, foram introduzidas as novas cédulas de R$ 10 e R$ 20, seguidas pelas de R$ 2 e R$ 5 em 2013. A cédula mais recente é a de R$ 200, lançada em 2020, que não fazia parte da primeira família do real.

Fotos: Arte g1/Reprodução/BC

Nota Fiscal Paulista: governo libera R$ 46,5 milhões em créditos; saiba como resgatar

Nesta terça-feira (16), a Secretaria da Fazenda e Planejamento de São Paulo (Sefaz-SP) anunciou a liberação de R$ 46,5 milhões em créditos para os participantes do programa Nota Fiscal Paulista referentes às compras realizadas em março de 2024.

Dentre o total liberado, R$ 25 milhões foram direcionados a instituições filantrópicas para apoio a seus projetos. Para as pessoas físicas que solicitaram CPF nas notas fiscais, estão disponíveis R$ 20 milhões.

COMO RESGATAR

Os consumidores podem verificar e resgatar seus créditos através do site ou aplicativo da Nota Fiscal Paulista, transferindo os valores para uma conta corrente ou poupança. A transferência será efetivada na conta indicada em até 20 dias, com um valor mínimo de R$ 0,99 para resgate.

COMO PARTICIPAR

Para participar do programa e receber os créditos, o consumidor deve pedir que o comerciante inclua o CPF na nota fiscal. Entidades beneficentes podem consultar as regras aqui, enquanto empresas interessadas devem acessar as orientações nesta página.

Os créditos da Nota Fiscal Paulista ficam disponíveis por um ano após a liberação e podem ser utilizados a qualquer momento dentro desse prazo. É importante que os participantes estejam atentos ao prazo de resgate, pois os valores liberados em julho do ano passado irão expirar neste mês, e assim sucessivamente.

Até o momento em 2024, foram liberados mais de R$ 254 milhões em créditos.

SOBRE O PROGRAMA

Criado em outubro de 2007, a Nota Fiscal Paulista faz parte do Programa de Estímulo à Cidadania Fiscal do Governo do Estado de São Paulo e visa reduzir a carga tributária individual. O programa distribui até 30% do ICMS recolhido pelos estabelecimentos comerciais aos consumidores que pedem o documento fiscal com CPF ou CNPJ, proporcional ao valor da nota. Esses créditos são disponibilizados mensalmente e podem ser acompanhados online, sendo utilizáveis para o pagamento do IPVA ou resgatados em dinheiro.

Desde o início do programa, cerca de R$ 18,7 bilhões foram devolvidos aos participantes, sendo R$ 16,6 bilhões em créditos e mais de R$ 2,1 bilhões em sorteios, que já totalizaram 188 edições.

Para conferir créditos, participar dos sorteios ou obter mais informações sobre a Nota Fiscal Paulista, acesse o site oficial. O aplicativo do programa está disponível nas lojas de aplicativos para smartphones e tablets.

Futuro das apostas online no Brasil: oportunidade ou ameaça?

A ascensão do mercado de apostas online no Brasil, especialmente no setor esportivo, é um fenômeno que não pode ser ignorado. A introdução da Lei 14.790, que regulamenta as apostas esportivas, representa um passo significativo na legalização e controle dessa atividade, oferecendo um cenário mais seguro para apostadores e operadores. No entanto, é crucial analisar os diferentes aspectos dessa regulamentação e seu impacto no esporte e na sociedade.

No entanto, apesar dos benefícios evidentes, a regulamentação também apresenta desafios. A implementação de medidas de controle rigorosas pode criar barreiras de entrada para novos operadores, limitando a concorrência e a inovação. Além disso, as restrições impostas ao marketing e a complexidade das regulamentações podem aumentar os custos operacionais, impactando negativamente a indústria.

A nova legislação, sancionada em 2022, estabelece um marco regulatório que visa trazer transparência e segurança ao mercado de apostas. Com a regulamentação, espera-se um controle mais eficaz das atividades de apostas, aliviando problemas como a lavagem de dinheiro e o vício em jogos de azar. A alíquota de 12% sobre o faturamento bruto das apostas não só gera receita para o governo, mas também fortalece a estrutura regulatória necessária para manter a integridade do mercado.

Um dos aspectos mais preocupantes é o risco de manipulação de resultados. A história recente do futebol brasileiro é marcada por escândalos de manipulação, que comprometem a credibilidade das competições esportivas e afastam torcedores. A denúncia do Ministério Público de Goiás em maio de 2023 revelou uma rede de manipulação envolvendo jogadores e árbitros em diversas partidas, evidenciando a necessidade de medidas rigorosas para combater esse tipo de fraude.

Por outro lado, não se pode negar que as empresas de apostas têm trazido investimentos significativos para o esporte nacional. Patrocínios a clubes de futebol e o aumento da visibilidade do esporte são aspectos positivos que devem ser considerados. Esses recursos financeiros são essenciais para a sustentabilidade dos clubes e para o desenvolvimento do esporte no país.

O crescimento do mercado de apostas online no Brasil representa uma oportunidade econômica significativa. Com base em dados publicados pelo Banco Central, em 2023, os gastos dos brasileiros em apostas online ultrapassaram a marca de R$ 50 bilhões, refletindo o potencial econômico desse setor. No entanto, é fundamental que a regulamentação acompanhe a evolução do mercado digital, adaptando-se às novas realidades e desafios.

A chave para o sucesso está em encontrar um equilíbrio entre a promoção do crescimento econômico e a garantia de um ambiente seguro e transparente para os apostadores. O mercado de apostas online no Brasil tem o potencial de se tornar um setor próspero e bem-regulado, desde que as políticas públicas continuem a evoluir e a se adaptar às mudanças do cenário digital.

Mutirão de emprego em Ribeirão Preto oferece 74 Vagas; confira como participar

Na próxima quinta-feira (18), Ribeirão Preto sediará um mutirão de emprego com 74 oportunidades de trabalho, que será realizado no Sesc Ribeirão Preto, das 8h às 13h. O evento acontecerá na Rua Tibiriça, 50, no Centro da cidade, e incluirá vagas nos setores de construção civil e vendas.

As vagas disponíveis são oferecidas pela MRV e envolvem a construção de novos empreendimentos e funções em vendas.

VAGAS DISPONÍVEIS

As posições abertas são para pintor, pedreiro de acabamento, pedreiro bloqueiro, montador de formas metálicas e consultores de vendas. Os interessados devem comparecer ao Sesc com documentos pessoais, incluindo RG, CPF e comprovante de residência.

Os benefícios incluem, além dos salários, vale transporte e vale refeição.

Dia do Comerciante: veja como impulsionar suas vendas no e-commerce em datas sazonais

O Dia do Comerciante, comemorado no Brasil em 16 de julho, é uma data que celebra a importância dos profissionais do comércio. Para o e-commerce, esta data não é apenas um marco, mas uma oportunidade importante para impulsionar as vendas e conectar-se ainda mais com os consumidores ansiosos por ofertas irresistíveis.

Até o fim deste ano o mercado de vendas online deve crescer, mas para isso, é necessário muito planejamento aliado a uma marcante experiência de marca. “Isso acontece porque são dias que as pessoas acessam a internet com a intenção de comprar algo e são influenciadas, normalmente, por boas ofertas de preço e condições de pagamento”, destaca Andrei Dias, Head de vendas da Nexaas, Retail Tech especialista em inovação para o varejo.

Ainda segundo o especialista, apesar de não ter a mesma força de outras datas comemorativas, o Dia do Comerciante também é uma ótima oportunidade para as marcas aumentarem seu engajamento e naturalmente impulsionarem suas vendas. “Conseguir bons resultados no e-commerce vai de encontro, diretamente, com oferecer boas condições para os seus consumidores. A comemoração é feita para quem vende, mas quem compra também pode receber boas oportunidades e assim a troca é feita mais facilmente. Maior conversão e maior satisfação”, explica.

Pensando nisso, o especialista compartilha as melhores estratégias de atuação de uma marca no e-commerce em datas especiais para o varejo. Confira:


1 – Você sabe quais datas devem estar presentes no seu planejamento?

Saber quais as datas sazonais que fazem parte do calendário, faz toda a diferença para o negócio. Por isso, é importante que sempre que comece a fazer o planejamento daquele semestre, por exemplo, anote todas as datas que podem te ajudar a vender mais. Planeje com antecedência quais ações você vai realizar para cada data comemorativa. Assim, na hora de colocar em ação, fica mais fácil!


2 – Frete, e agora?

Você sabia que, de acordo com a pesquisa Ebit Nielsen, os consumidores consideram o valor do frete como um dos principais fatores para realizar a compra ou não? Por isso, para as datas comemorativas, é legal que você se planeje para oferecer frete grátis, dessa maneira, as chances de conversão são maiores e de fidelização do cliente também.


3 – Devo oferecer desconto em todas as datas?’

Não há necessidade de oferecer descontos consideráveis ou fazer grandes ações de marketing. Você pode oferecer pequenos benefícios como frete grátis, cupons ou até mesmo brindes. Essas pequenas ofertas podem facilitar a finalização da compra na sua loja e o consumidor sairá satisfeito.


4 – Melhores formas de pagamento

Para o Dia do Comerciante, comemorada em julho, você pode oferecer outras formas de pagamento, diferentes das que oferece no dia a dia. Se naquele momento você não consegue oferecer frete grátis, brindes e descontos, opte por melhorar as formas de pagamento para que seu consumidor se sinta beneficiado de alguma forma. Ofereça maiores condições de parcelamento com menores taxas, por exemplo.


5 – Produza conteúdo!

Por fim e não menos importante, lembre-se que as redes sociais são importantíssimas para que suas vendas aumentem. Por isso, produza conteúdos diferentes, educativos e de entretenimento para seus seguidores e possíveis compradores. Dessa forma, você estará presente no cotidiano deles e será lembrado quando chegar o momento da venda!