Moraes quer investigar Elon Musk por supostos ataques à Justiça brasileira

O empresário Elon Musk, fundador do X (antigo Twitter) e CEO da Tesla, está no centro de uma investigação conduzida pelo Supremo Tribunal Federal (STF). O ministro Alexandre de Moraes determinou a abertura de um inquérito para investigar Musk por suspeita de envolvimento em crimes como organização criminosa, obstrução de Justiça e incitação ao crime.

A decisão do ministro veio após críticas de Musk à atuação do STF, especialmente em relação às questões de censura no Brasil. O empresário respondeu a uma publicação de Moraes questionando a quantidade de censura no país e, desde então, tem feito diversas críticas à Suprema Corte brasileira.

O inquérito faz parte das investigações sobre as chamadas “milícias digitais”, e Moraes destaca que Musk teria utilizado o X de forma criminosa para manipular informações. Além disso, o ministro determinou que a plataforma não reative perfis bloqueados anteriormente, sob pena de multa diária.

A possível proibição do X no Brasil também está em pauta, com a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) sendo acionada para avaliar a viabilidade de tirar a rede social do ar. Musk já sugeriu aos usuários o uso de redes privadas virtuais (VPNs) como alternativa. A investigação segue em andamento e pode ter desdobramentos significativos nos próximos dias.

Elon Musk anuncia primeiro implante de chip cerebral em humano

O CEO bilionário Elon Musk revelou essa semana um avanço significativo na Neuralink, sua empresa de neurotecnologia, ao anunciar o primeiro implante bem-sucedido do chip cerebral da empresa em um ser humano. O dispositivo, conhecido como interface cérebro-computador (BCI), tem como propósito permitir que indivíduos com paralisia controlem dispositivos externos através de seus pensamentos.

O procedimento cirúrgico, realizado com sucesso, ocorreu domingo, 28, e o paciente está se recuperando favoravelmente, conforme informado por Musk. Embora os detalhes da operação não tenham sido divulgados em profundidade, sabe-se que o chip foi implantado cirurgicamente por um robô em uma região do cérebro associada à intenção de movimento. A Neuralink já havia recebido autorização para testar o chip em humanos em 2023 e tem planos ambiciosos para o futuro, visando a utilização do dispositivo no tratamento de uma variedade de condições médicas, embora a comercialização ainda possa levar mais de uma década, de acordo com especialistas.